Font Size

Profile

Menu Style

Cpanel

28Abril2017

    

Espaco Aberto

Itiúba entra em emergência; 4,3 milhões de baianos já são afetados

...

Festa de Maio de Ponto Novo será realizada com redução de custos
&nb...
Saúde.Sindicato dos servidores Públicos Municipais participou da paralisação Nacional

...

Prefeito do Mato Grosso está entre os ganhadores da Mega-Sena

...

Cadeia.Desembargador recua e Adriana Ancelmo não voltará à prisão

...

Prefeitura de Ponto Novo inicia obras de limpeza do Dreno do Bairro Portal das Águas e Oscar Macêdo II
&nb...
Reforma trabalhista: confira como votou cada deputado baiano
...
Prefeitura de Ponto Novo realizou lançamento do projeto “Construindo Leitores”

...

Senador Eunicio Oliveira , sofre isquemia e esta na UTI

...

Motorista preso pela PRF diz ter adquirido documento falso com despachante em Jacobina
...
19 Abr
Escrito por 

MPF pede prisão de Cláudia Cruz; promotores atestam que ela era cúmplice de Cunha

MPF pede prisão de Cláudia Cruz; promotores atestam que ela era cúmplice de Cunha
Foto: Reprodução / Jornal GGN

Com Eduardo Cunha preso há exatos seis meses, os procuradores da Lava Jato pedem também a condenação da jornalista Cláudia Cruz por crime contra o sistema financeiro e por lavagem de dinheiro. Segundo informações da Veja, os 12 procuradores que assinam os "memoriais escritos" entregues ao juiz Sérgio Moro querem que a esposa do ex-presidente da Câmara cumpra a pena em regime fechado. O pedido tem como base cinco fatos ligados à manutenção de dinheiro não declarado no exterior.

"É claro que Cláudia Cruz, pessoa bem esclarecida, sempre teve conhecimento de que o salário de Eduardo Cunha, como servidor público, jamais seria capaz de manter o elevado padrão de vida por eles mantido", diz o texto da petição do Ministério Público Federal (MPF). A jornalista sempre negou conhecimento sobre as movimentações ilegais do marido, na Suíça. Mas o MPF atesta que ela bancou contas internacionais suas e de sua família com recursos provenientes do crime.

"Cláudia Cruz não foi simples usuária dos valores, mas coautora de Eduardo Cunha em lavar os ativos mediante manutenção de conta oculta com os valores espúrios, cuja abertura foi assinada por ela, bem como por converter os ativos criminosos em bens e serviços de altíssimo padrão", completam os procuradores. Se condenada, a esposa de Cunha terá que ressarcir a União em R$ 7 milhões

Deixe um comentário

Facebook